RSS
Facebook
Twitter

Seguidores

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011




Uma alternativa para quem quer comprar roupas, bolsas e outros produtos feitos com materiais mais sustentáveis é o tecido de garrafa PET. Ele é feito a partir da reciclagem do plástico e pode evitar que novas matérias-primas sejam produzidas, além de reaproveitar o material que iria para o lixo.
Apesar de parecer novidade, os tecidos produzidos a partir das embalagens PET são os mesmos das roupas comuns de poliéster. A grande diferença é que em vez de utilizar o

Tereftalato de Etileno virgem, a indústria recicla o plástico das garrafas e o transforma em fibras de poliéster.
Posteriormente, essa fibra poderá ser tecida junto com algodão e virar matéria-prima para roupas, bolsas, travesseiros, roupas de cama, tapetes e outra infinidade de produtos, ou ainda ser utilizada em sua forma bruta na confecção de banners, sacolas, embalagens etc.
Basta olhar a etiqueta de algumas roupas para ver que a composição do produto é feita com 50% de algodão e 50% de poliéster. As roupas feitas a partir dessa mistura ainda são mais resistentes, correm menor risco de desbotar ou formar "bolinhas", além de amassam menos que aquelas feitas com 100% de algodão.
Benefícios ambientais


Segundo a Associação Brasileira da Indústria de PET (ABIPET), em 2008 foram recicladas no Brasil 253 mil toneladas de embalagens, sendo que 38% foram encaminhadas para a área têxtil. Destes, 44% foram usados na indústria de vestuário, 35% para a produção de cordas, cerdas e monofilamentos e 21% para não-tecidos.
Além de incentivar os investimentos em cooperativas e catadores de lixo, a reciclagem pode trazer diversos ganhos ambientais. Para produzir um quilo de malha PET são recicladas 11 garrafas de dois litros de refrigerante.

Além disso, ao reutilizar o material a indústria deixa de produzir novas unidades de Tereftalato de Etileno, economizando água, energia e matérias-primas, como o petróleo. Por fim, a reciclagem evita o acúmulo do material em lixões e aterros e prolonga sua vida útil.

Fonte:Terra

sábado, 29 de janeiro de 2011

WWF Brasil - Conservação da natureza brasileira

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Dez atitudes domésticas – ecologicamente corretas

                     Substituir sacolas de plástico

  A sacola de plástico é a atual vilã do ambientalismo. Sua substituição pelas de papel é a primeira – e muitas vezes a única – atitude sustentável que pessoas e empresas estão dispostas a adotar. Em decorrência disso, o consumo de embalagens de papel no Brasil aumentou 30% desde o ano passado. O plástico das sacolas demora quatro séculos para se decompor na natureza, usa petróleo como matéria-prima e, se jogado em rios e mares, provoca a morte de animais que engolem o resíduo. Só que as vantagens da troca pelas sacolas de papel não são tão evidentes. A produção do papel emite 70% mais poluentes atmosféricos que a de plástico. A reciclagem do papel consome 98% mais energia que a do plástico. A solução talvez não seja a troca, mas um descarte mais eficiente das embalagens plásticas.

Fazer xixi no banho

  A campanha lançada pela SOS Mata Atlântica baseia-se numa conta simples: cada descarga utiliza 12 litros de água tratada. Como um adulto saudável urina, em média, quatro vezes ao dia, são 17.520 litros de água por ano. O objetivo do xixi no banho é aproveitar a água que já está sendo usada e poupar uma descarga por dia. Evidentemente, há modos mais eficientes de economizar água. Adotar bacias sanitárias com caixa acoplada que gaste só 6 litros por descarga, por exemplo. De qualquer forma, toda iniciativa para economizar água tratada é bem-vinda.






Reciclar o lixo


 Papel, vidro e plástico são recicláveis, com vantagens óbvias para a natureza. Economizam-se matéria prima e energia. Evita-se o acúmulo de detritos em aterros e lixões. O problema é como fazer isso. Raras cidades brasileiras têm coleta seletiva de lixo. Em São Paulo, por exemplo, esse tipo de serviços só atende a 20% das residências. Em muitos lugares, o melhor a fazer é encaminhar o material reciclável para instituições ou cooperativas de recicladores.




Abolir a carne da dieta


A rigor, não há motivo para colocar no mesmo prato a abstenção do consumo de carne (que é uma postura filosófica) e a adoção de hábitos sustentáveis – mas existe certa confusão popular entre as duas. É verdade que a pecuária responde por 17% das emissões de gases do efeito estufa e ocupar terras que teoricamente poderiam ser florestas – mas o mesmo se poderia dizer da agricultura. Ambos, a carne e os vegetais, são recursos renováveis domesticados pelo homem e fazem bem à saúde. “Alimentar-se só de vegetais pode causar doenças, como a anemia.” – diz Solange Saavedra, do Conselho Regional de Nutricionistas de São Paulo.


Desligar o equipamento eletrônico da tomada

  Estima-se que, em média, 15% da conta de eletricidade de uma residência se deva ao consumo de aparelhos em stand-by. Aí está uma providência simples que resulta em economia de energia (em outras palavras, reduz o uso de recursos naturais e a emissão de gases do efeito estufa) e alivia o peso da conta de luz. Um uso sustentável da eletricidade pode incluir equipamentos de consumo eficiente, substituição das lâmpadas incandescentes por modelos econômicos e a administração cuidadosa do período em que o ar-condicionado permanece ligado.

Deixar de imprimir documentos

 
Economizar papel tem três objetivos. Primeiro, diminui a produção de lixo. Segundo, evita a derrubada de árvores. Terceiro, reduz o consumo de água. Doze árvores são derrubadas para cada tonelada de papel virgem. São necessários 540 litros de água para fazer um quilo de papel. O Instituto Akatu, que promove o consumo consciente, calcula que uma empresa com 100 funcionários que use 50 mil folhas de papel por mês consome indiretamente 128 mil litros de água. “Só que ninguém tem de abolir de vez o papel, um item essencial para o homem”, diz Camila Melo, do Akatu. “O certo é usá-lo somente quando for necessário”.




Desligar o chuveiro enquanto se ensaboa

A quantidade depende da vazão de cada chuveiro, mas uma boa ducha pode gastar 30 litros de água por minuto. Basta multiplicar para ver como simples economizar água e dinheiro. Na região metropolitana de São Paulo, o metro cúbico de água tratada custa 6,10 reais. Parece barato? Um banho diário de 10 minutos custa 350 reais em um ano. Um dinheiro que vai literalmente pelo ralo.








 Fazer compostagem
  O processo para converter resíduos orgânicos, como alimentos e grama, em adubo é trabalhoso e demorado. Leva dois meses para estar completo. Em compensação, reduz o volume do lixo doméstico em 60%. O adubo pode ser aproveitado no jardim, na horta ou no sítio. Devido à complexidade da produção e do uso, a compostagem é restrita a uma minoria de residências, o que reduz seu impacto positivo no ambiente.






Trocar o carro a gasolina por um elétrico

O carro elétrico não polui o ar e não utiliza combustíveis fósseis (exceto por tabela nos países cuja matriz energética é formada por carvão, petróleo ou gás natural). Bastante eficaz, aproveita 90% da energia gerada, diante de 17,5% do motor de combustão interna. De qualquer forma, a troca é uma decisão a ser tomada no futuro, visto que ainda não há produção em massa de carros elétricos no Brasil.


Parar de jogar óleo na pia
 O óleo que é jogado na rede de esgotos ajuda a formar uma massa compacta de detritos que entope as tubulações e contribui para inundações. Quando contamina os reservatórios, o óleo torna mais caro e trabalhoso o tratamento da água para uso nos domicílios. Uma boa prática é recolher o óleo usado e encaminhá-lo a uma instituição ou empresa que cuide de sua reciclagem (o material pode virar biocombustível ou sabão).
Fonte: http://meumundosustentavel.com 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Aquecimento Global


O Ciclo do Carbono

Em todo o planeta, a queima excessiva de combustíveis fósseis e o corte desenfreado de florestas pelo homem vêm desequilibrando o ciclo do carbono. Há mais carbono sendo despejado na atmosfera pela fumaça do que saindo dela por meio da fotossíntese.

Sobre o Aquecimento Global

O aumento da temperatura média no planeta é chamado de aquecimento global. Ele acontece, em parte, por causa da quantidade de gás metano e dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. O crescimento do volume de dióxido de carbono se deve, principalmente, a quatro setores.

4% Agricultura , 22% Trasporte , 31% Casas e edifícios , 40% indústrias.

ATÉ AGORA, O MUNDO ESQUENTOU 0,76 GRAUS CELSIUS DESDE 1900.
O perigo das Vacas 
A emissão de gás metano também está crescendo. Ele aquece a atmosfera oito vezes mais que o dióxido de carbono!
O metano vem de apodrecimento do lixo e dos campos úmidos. Ele vem, ainda, dos arrotos e puns lançados no ar em grandes quantidades por animais herbívoros, como as vacas. Quanto mais gente houver no planeta comendo carne e arroz e jogando dejetos fora, mais metano será produzido.




Faxina
Os mares e a vegetação absorvem parte do CO2.
As plantas vêm crescendo com mais viço e os 
oceanos estão se tornando mais ácidos por isso,
Talvez os mares e a flora estejam chegando ao 
limite de sua capacidade de absorver gases extras.
Mundo Aquecido
Já existem menos neve e menos gelo no mundo.
As grandes geleiras da Antártica (no sul)
e da Groenlândia (no norte) estão derretendo.
Isso coloca cerca de 30 bilhões de toneladas 
de água a mais no mar a cada ano.

Os Ritmos da Natureza 
 A época do florescimento das plantas se tornou
mais longa na maior parte do hemisfério norte.
Os famosos botões de cerejeira do Japão, por 
exemplo, agora se abrem, em média, cinco dias
mais cedo em Tóquio do que 50 anos atrás.

Observadores de Pássaros
Os animais estão procurando novos territórios e 
altitudes mais elevadas por causa do aquecimento 
crescente. O povo inuit tem observado pássaros 
numca antes vistos na região ártica. Mas nem toda 
a fauna é capaz de se adaptar ás mudanças.

 
11 DOS 12 ANOS ENTRE 1995 E 2006 FAZEM PARTE DA LISTA DOS 12 ANOS MAIS QUANTES JÁ REGISTRADOS.

A Produção de gases que provocam o efeito estufa (metano e dióxido de carbono) tem aumentado muito, assim como as temperaturas em todo o mundo. Isso acontece porque, quanto mais desses gases houver, maior calor será capturado e mantido na atmosfera.
Pergunta: Como sabemos que o aquecimento global é causado por nós?

Resposta: A ciência tem muitas dúvidas sobre o aquecimento global:
quanto o planeta vai esquentar? Isso vai trazer mais chuva? Ou menos? E assim por diante. Mas a maioria dos cientistas concorda qye as Emissões de metano e dióxido de carbono pelo homen são responsáveis pelo problema...
 ...Os gases vêm das fábricas, dos carros, das usinas elétricas, das caldeiras domésticas e das fazendas.

Fonte: Abril- Planeta Terra Enciclopédia de Ecologia

 
Video Tirado da Youtube.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Ciclo do Carbono

Muito se fala em carbono. Mas o que é isso?
O carbono é uma substância natural e um dos elementos químicos. Em seu estado puro, existe principalmente na forma de carvão ou de diamante.
Ele representa uma pequena parte das substâncias que formam a Terra (menos de 1%) , mas é um elemento vital para o corpo humano. Todos os seres têm, em sua composição química, uma estrutura básica de carbono.




Um cristal de diamante 
é carbono 100% puro.


Um pedaço de carvão tem 95% de carbono.

A ponta do lápis é quase toda de grafite, uma forma macia de carbono puro.






Os átomos de carbobo se movem num ciclo natural entre o solo, a água e a atmosfera.Mas o homem pertubou esse equilíbrio...


NA ÁGUA
O dióxido de carbono se dissolve na água e se desloca da atmosfera para o oceano. Uma parte do gás (geralmente pequena) também sai do oceano e vai para a atmosfera, num processo chamado de difusão.


 Como as plantas terrestres, as plantas marinhas usam o dióxido de carbono da água na fotossíntese (uso da luz para a produção de alimento).
Elas também armazenam carbono. 

Finalmente , a água que contém carbono sai das profundezas do oceano e vai para a superfície. Então, uma parte desse carbono troca a superfície do mar pela atmosfera.

Quando as plantas e os animais morrem, eles apodrecem na água e se dissolvem ou afundam. No fundo do mar, são enterrados e esmagados pela pressão da água. Ás vezes, eles se tornam rochas ou combustíveis fósseis.

Os animais marinhos comem plantas aquáticas e assim absorvem o carbono que elas armazenam. Tanto as plantas quanto os animais liberam dióxido de carbono na água por meio da respiração.

Algumas criaturas marinhas conseguem tirar carbono da água e usá-lo na construção de conchas. Quando esses seres morrem, suas conchas (ricas em carbono) se dissolvem no oceano. Elas então são compactadas e, aos poucos, viram combustíveis fósseis, giz ou pedra calcárias.

 NA TERRA 
As plantas extraem dióxido de carbono da atmosfera durante a fotossíntese. As árvores armazenam carbono na madeira enquanto crescem. O desmatamento diminui a remoção de dióxido de carbono do ar.


As plantas também lançam carbono na atmosfera por meio da respiração.


Quando as plantas morrem, elas apodrecem e se tornam parte do solo. Depois de muito tempo, parte desse solo é soterrada e se trasforma em combustíveis fósseis, como carvão e petróleo.


O QUE A GENTE FAZ  
O homem tem uma grande influência no ciclo do carbono. Quando extraímos combustíveis fósseis do solo e os queimamos para obter energia, o carbono presente nessas substâncias vira dióxido de carbono e entra na atmosfera.
Mas esse carbono esteve fora de circulação durante centenas de milhões de anos. Ao entrar rapidamente no ar, ele pertuba o equilíbrio natural.


As queimadas também despejam dióxido de carbono no ar. Esse processo geralmente não perturba o equilíbrio porque o carbono fpi recém-extraído do ar pelas próprias árvores durante seu crescimento.


Tanto a queimada de combustíveis fósseis quando o desmatamento lançam na atmosfera o carbono armazenado nas árvores.


O CARBONO É A BASE DA VIDA NA TERRA.


O carbono também se une ao oxigênio para formar um gás importante da atmosfera terrestre: o dióxido de carbono.
O carbono circula pela Terra mais do que qualquer outro elemento devido a um fenômeno chamado de "ciclo do carbono".





Menos de 1% da Terra é formada por carbono...






               ....mas 18% do nosso corpo é feito de carbono.


Nos somos feitos da mesma coissa que os outros  seres vivos. As cadeias de carbono formam a estrutura básica de todos os materiais mais complexos que existem dentro de nós, incluindo proteínas, gorduras e até assos.


Fonte: Abril- Planeta Terra Enciclopédia de Ecologia

D-DanielRox



Cada vez que tiro alguma matéria do livro para postar no blog aprendo novas coisas. É claro que sei de muitas coisas afinal tenho vários certificados de conferências palestras discursos etc. de Meio Ambiente, mais o que mais me deixa confuso é até quando a homem vai continuar acabando com outras vidas e até mesmo com a vida dele! será que  as pessoas não se dão de conta do que está  acontecendo com o Planeta ? Quantas pessoas terão que morrer mais por desastres naturais  ? que pra  mim é desastre  que acontecem , por o homem ainda estar desequilibrando o Clima e utilizando Combustíveis Fósseis na atmosfera  .Nos últimos anos , o mundo só vem piorando , e tudo isso tem um único culpado o h....  é Triste :S

sábado, 15 de janeiro de 2011

Nossa atmosfera eo Efeito estufa

A atmosfera  flutua sobre nossas cabeças como um cobertor invisível que circunda o mundo.
Graças a ele nosso planeta é um lugar tão cheio de vida! 
A atmosfera mantém a Terra na temperatura certa para que as plantas floresçam e produzam o gás que fornece a vida: o oxigênio.

 O AR QUE RESPIRAMOS
É incrivel que exista tanto oxigênio 
na atmosfera terrestre. Por uma razão:
ele é altamente reativo e se combina 
facilmente com outroselementos
para formar compostos vitais como a água. E também é o único gás de que toda a vida animal no planeta precisa para sobreviver.

Então, como existe tanto oxigênio livre na atmosfera?
Isso acontece porque muitas plantas e micróbios o produzem sem parar.




Camada de ar
A Atmosfera tem quatro camadas. O ar que respiramos fica na troposfera.
Na verdade, cerca de 80 a 90% do ar da Terra está nesse nível , onde é mantido pela força da gravidade. Quase todo ar que sobra está na estratosfera, cima das nuvens, onde voam os aviões. Do lado de fora das aeronaves, o ar é rarefeito demais para ser respirado.
Mais acima, na mesosfera, a temperatura cai bastante, chegando a 90 graus Celsius negativos. E, na termosfera, quanto maior a altitude, mais quante é o ar. A temperatura pode alcançar os 1.500 graus Celsius lá em cima. Não há um limite exato para o fim da atmosfera - ela vai sumindo até se tornar espaço.

Sem a atmosfera, 
a temperatura média 
da Terra seria de 6 graus Celsius
negativos.


6% da  radiação solar é refletida por moléculas presentes na atmosfera e volta ao espaço.


 10% da radiação solar ricocheteia na superfície terrestre e volta ao espaço.
 84% da radiação solar é absorvida pelas rochas, pelo solo e pela água do planeta, onde se tranforma em ondas "longas" (o tipo de calor captado por câmeras de inflavermelho). A atmosfera impede que algumas dessas ondas se dispersem no espaço.



O Efeito Estufa 
Vapor d'água, dióxido de carbono, metano e outros gases da atmosfera absorvem as ondas longas da radiação de calor e a devolvem para a Terra.
É igual ao que acontece quando você se enrola num edredom: o calor de seu corpo não escapa, mas parte dele é absorvida pela coberta.
A outra parte volta para seu corpo e você se aquece aos poucos.No entanto, você não esquenta sem parar porque parte do calor de edredom escapa e se dilui no ar.

94% do calor do Sel entra através da atmosfera.      

Uma parte do calor escapa da atmosfera. mas a maioria é refletida de volta pelos gases do efeito estufa.

O que deu errado?
Os gases que causam o efeito estufa estão aumentando porque nós dudamos o equilíbrio atmosférico por meio da queima de combustíveis fósseis e de outras atividades que produzem dióxido de carbono e metano. Eles mantêm mais calor dentro da atmosfera, e isso provoca o quecimento global.


A CAMADA DE OZÔNIO 

Oque ela faz? Ozônio é uma molécula que existe numa fina camada da estratosfera, a 7 quilômetros de altitude. A camada de ozônio absorve a maior parte da radiação ultravioleta do Sol, que é nociva , impedindo-a de alcançar a Terra. Sem ela, a luz solar pode ser muito prejudicial para o corpo humado causando quaimaduras, câncer de pele e catarata nos olhos.

 Em 1985, cientistas ingleses descobriram que quase metade do ozônio que ficava sobre a Antártida havia desaparecido.
Isso aconteceu porque os gases chamados clorofluorcarbono (CFCs) têm se espalhado pela estratosfera e vêm destruindo o ozônio há 100 anos.





   O gás CFC era usado em aerossóis e geladeiras.Agora, ele preticamente não é mais utilizado. A rápida descontinuação do uso dos CFCs mostra que, se holver nessecidade, todos os países podem trabalhar juntos para muder as coisas.


Fonte: Abril- Planeta Terra Enciclopédia de Ecologia





Boas Novas: o buraco na camada de ozônio está deminuindo e ela voltará ao normal em 2050 

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

O Clima está se tornando mais extremo.

''O natural do ser humano é viver plantando, ele sempre foi coletor. Essas tecnologias retrógradas e alienígenas mais a ambição do homem por poder é que está acabando com toda a ordem do planeta''



Convivendo com as Mudanças

Nos últimos 100 anos , o mundo está ficando mais quente. As pessoas precisam se adaptar ao clima em trasformação , a tempestades mais   intensas e, em alguns lugares, a muito menos chuva







Como oque está acontecendo em São Paulo 


E como oque está acontecendo no Rio de Janeiro

                                                                                                                              
Seca

África subsaariana , uma região que já é pobre, pode sofrer secas ainda piores devido à mudança de clima.
Um acordo internacional , chamado Protocolo de Kyoto, propões que países pobres como as da África recebam mais dinheiro dos países ricos vendendo "créditos cardono".
Os créditos carbono podem ser obtidos plantando árvores ou usando energia renovável.


A desertificação gera milhões de ecorrefugiados.










Furacões 

Os mares mais aquecidos  já estão provocando tempestades tropicais mais intensas.
O furação Katrina, que atingiu os Estados Unidos em 2005, foi um dos mais decastadores já vistos.
A maioria dos danos aconteceu devido a falhas nas defesas das cidades contra enchentes. Elas estão sendo reconstruídas, mais fortes e mais altas, e países do mundo todo estão revendo suas defesas.                                                 



Inundações 


Com o nível dos mares  subindo e as chuvas mais fortes, inundações serão comuns em muitos lugares. A corrente quente conhecida como El Niño, que leva chuvas pesadas ao oeste da América do Sul , parece estar ocorrendo com mais frequência e intensidade. Países com alto risco de inundação precisam reforçar suas defesas e delinear planos de emergência em caso de desastres.



El Niño (em vermelho) se movendo no pacífico próximo ao Equador.
 

Ilhas em perigo


Com a previsão de que o nível dos mares vai subir mais de meio metro no próximo século , algumas ilhas vão desaparecer. Os habitanres do arquipélogo das Maldivas  estão preservando os recifes de coral, que formam uma barreira natural contra o avanço das ondas, e plantando árvores para evitar a erosão da praia. Eles esperam que os países poderosos reduzam as emissões de carbono.

Fonte: Abril- Planeta Terra Enciclopédia de Ecologia


 D-DanielRox 

As enchentes no Brasil estão cada vez pior não podemos por a culpa só na chuva, devemos mudar nossas atitudes,colocando o lixo na lixeira (é um pequeno ato que faz a grande diferença),poderia salvar vidas,familias não entrariam em desespero pelas suas mobilias,mas mesmo assim não resolveria essa situação,os governantes precisam procurar soluções pra tentar resolver os casos das enchentes,claro que isso irá demorar um tempo mas se levar como prioridade com certeza esse caso será resolvido o mais breve possivel,quem sabe viveremos em um país melhor ou até em um mundo melhor se todos colaborarem,cidadãos e governantes.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Responsabilidade com o Futuro

empresas investem em projetos de desenvolvimento sustentável







  
Sustentabilidade, Meio ambiente, camada de ozônio , aquecimento global , eco desenvolvimento, créditos de carbono , Amazônia... um sem-fim de substantivos para fazer um único e temeroso alerta que todos aprenderam nas aulas de Ciências Sociais e Biologia: os recursos naturais têm fim. As questões ambientais nunca foram tão discutidas e estudadas como na última década e a imprensa têm exercido destacado papel na cobertura dos fatos que envolvem o tema, oportunizando à sociedade ter acesso às informações antes restritas a grupos de estudiosos e entidades ambientais.
   O furor das discussões sobre o meio ambiente , a certeza de que tudo é finito e a constatação diária dos impactos causados pela devastação da natureza chagam a entristecer, porém também são solo fértil para a mobilização de redes sociais em prol da conservação do meio ambiente.Observando esta tendência , organizações públicas, privadas ou não-governamentais têm desenvolvido, cada vez mais , ações de defesa, conservação e melhor utilização do meio ambiente e recursos naturais.
    Levantamentos de dados técnicos e científicos, estudos climáticos, relatórios produzidos por diversas instituições de pesquisa , economia e meio ambiente vêm ratificar  aquilo que os olhos do cidadão comum enxergam diariamente, seja nas grandes cidades ou mesmo em vilarejos mais distantes dos centros urbanos.Aumento de temperatura, degelo das calotas polares, aumento dos níveis dos rios, mortandade de animais e plantas, problemas de saúde causados pela poluição do ar, escassez de recursos naturais, significativas alterações e desastres climáticos são apenas alguns dos fatores que refletem na vida da população mundial. Não apenas espelham o atual situação , mas são um marco de inexorável degradação da natureza e de seus recursos.
    Na direção contrária dessa realidade, exemplos de iniciativas bem-sucedidas no Brasil começam a se multiplicar. No Pará , o Projeto "Ambiente Amigo", criado e desenvolvido desde 2007 pelo Banco do Estado do Pará (Banpará) é um deles. Desenvolvido em parceria com o Banco Central , o Projeto objetiva, através de ações coordenadas de responsabilidade ambiental, fazer uso racional dos recursos naturais. As ações estimulam a redução do consumo, além de reutilizar materiais , iniciativas que evita o surgimento de mais lixo, aliado à prática da reciclagem de materiais degradáveis que , além de colaborar com o meio ambiente , ainda traz benefícios sociais e econômicos.
   A Coordenadora do Projeto , Edileuza Moura, explica que não são apenas iniciativas externas aos limites físicos do Banco. A proposta de (re)educação ambiental nasce dentro da rotina dos servidores do Banpará, com práticas de redução do consumo de energia , uso regional da água, separação do material reciclável, entre outras iniciativas simples que colaboram com a preservação da natureza e ajudam a reduzir o consumo de demasiado de recursos naturais.
" Aliado às práticas de reeducação dentro da empresa , o Projeto beneficia ações sociais. Apoiamos projetos de cursinhos livres pré-vestibulares, que atendem anualmente cerca de quarenta jovens residentes nos bairros da Terra Firme e Guamá, os mais populosos de Belém" , pontua Edileuza.
    O Trabalho também atende crianças e idosos carentes pertencentes a alguma instituição de assistência de Belém. Apenas em 2007 , o projeto Ambiental Amigo recolheu para as entidades beneficiadas aproximadamente 3,5 toneladas de papel reciclável.




D-DanielRox 


Bom , é muito importante quando as empresas investem em projetos assim.
3,5 toneladas de papel reciclável ajuda a diminuição do desmatamento da floresta  amazônica ,por que e com a árvores que se faz o papel ,   eu acho que se todas as empresas se sensibilizassem imagine como seria?
Seria  melhor , esses tipos de projetos ajudam até a melhorar a qualidade de vida das pessoas e ajudam a incentivar as pessoas a separar o seu lixo reciclável.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Produção de Lixo em Belém

De acordo com os dados da secretaria municipal de saneamento, a capital paraense produz, diariamente, 900 toneladas de lixo por dia. São 27 mil toneladas ao ano. Se continuarmos nessa constante, ao final de 2011 Belém terá jogado à natureza 324 mil toneladas de lixo, 2% a mais do que foi produzido em 2010 . Toda a produção de lixo de Belém tem apenas um único destino: o aterro sanitário, localizado no bairro do Aurá, que também revebe o lixo de dois municípios vizinhos, Ananindeua e Marituba.



                            Ética e Sustentabilidade

Com o crescimento da popularidade do conceito de sustentabilidade e com a adoção, cada vez maior pelas empresas de diversos setores, de projetos e políticas que visem enquadrar seus empreendimentos nesse conceito. Muitas empresas que praticam formas predatórias de extração de recursos ou que nunca se preocuparam com sua influência perniciosa no meio ambiente; começaram a perceber que os que enveredavam pelo caminho da sustentabilidade começaram a abarcar maiores fatias do mercado consumidor e, conseqüentemente a aumentar seus lucros. Por isso, hoje em dia quase toda empresa deseja divulgar uma imagem de sustentabilidade mesmo sem a tê-la na realidade.
Tal prática, puramente oportunista e claramente indecorosa, pode provocar grandes problemas para as empresas sérias, pela criação de uma desilusão nas populações consumidoras e levar a um descrédito maciço quanto a lisura das práticas daquelas empresas que realmente comungam dos procedimentos de sustentabilidade em seus projetos e em seu relacionamento com o ambiente que as cerca.
Além disso, ao serem descobertas como empresas inidôneas nessa área; arriscam-se a causar sérios problemas a seus funcionários e a todo pessoal envolvido em seus processos produtivos. Pois a sensação de que enganaram seus consumidores por um longo tempo é muito difícil de ser revertida e altamente danosa para todos.

                  Ética Levada a Sério

Assim, as empresas devem primar pela ética ao decidirem trilhar o caminho da sustentabilidade. Isso porque, além dos lucros e da penetração óbvia num mercado consumidor muito mais seleto e exigente, garantirá que toda a sua cadeia produtiva seja protegida contra percalços e dos ataques da concorrência oportunista e não sustentável. Pois, uma vez conquistada a imagem de empresa sustentável e consolidada essa imagem; será extremamente difícil perdê-la. A não ser é claro que tudo não tenha passado de mera estratégia de marketing. Já que, uma hora ou outra, a verdade aparecerá de forma contundente e de maneira a causar grandes prejuízos.
Como resultado da política do “lucro pelo lucro”, nosso planeta começou a enfrentar sérios problemas ambientais e de degradação das condições de vida de muitas comunidades. Os problemas causados foram tão grandes que as exigências por mudanças e pela criação de políticas e formas de extrair e utilizar os recursos naturais por mais tempo e sem causar os enormes danos ambientais anteriormente aceitos; criaram e deram forma ao conceito atual de empresa sustentável. O que, sem nenhuma dúvida, consiste hoje num diferencial altamente eficiente de competitividade.

                   Sustentabilidade Honesta

Não se deixar seduzir pela aparente facilidade do engodo; e garantir a lisura e a correção de todos os processos e índices envolvidos na obtenção da sustentabilidade dos projetos; é um fator decisivo para a garantia de uma longa e saudável vida econômica para uma empresa sustentável que deve, antes de qualquer coisa, primar pela ética de seus procedimentos, determinações e saber, acima de qualquer outra coisa, respeitar seus consumidores e o ambiente em que está inserida.
Muito antes de apenas buscar o benefício de um novo mercado, a empresa que desejar seguir os passos da sustentabilidade deve entender que esse tem de ser um compromisso permanente e sem interrupção. Sempre pautado pela ética, pela retidão e pelas boas práticas.

Fonte: SEMMA, e Livro sobre Belém.

GEOMAP

Usuários OnLine